Blefaroplastia

 

 

O envelhecimento facial muitas vezes causa deformidades nas pálpebras, graças à perda de elasticidade da pele (ritidose ou rugas) e queda dos tecidos (pele, músculos, gordura). O problema também pode ser uma anomalia do crescimento, adquirido por traumatismo ou outras doenças. Além de transmitir uma aparência cansada, em casos muito avançados essas deformidades chegam a diminuir o campo de visão. A blefaroplastia é uma cirurgia indicada para corrigir o excesso de pele, músculo e gordura nas pálpebras, assim como melhorar sua posição.

 

 

Como é a cirurgia?

 

O tratamento é feito através de cortes no sulco da pálpebra superior e na linha logo abaixo dos cílios na pálpebra inferior, com pequenas extensões laterais acompanhando rugas naturais já existentes. A pele e músculo excedentes são retirados e a gordura herniada é tratada. No final, a pele é suturada e se acomoda a nova estrutura.

 

Indicações


Os candidatos ideais são:

- Indivíduos saudáveis que não possuem doença com risco de vida ou condições médicas que podem prejudicar a cicatrização;
- Não-fumantes;
- Indivíduos com visão positiva e expectativa real quanto aos resultados da cirurgia.

O diagnóstico das deformidades é feito pelo médico a partir de queixas específicas do paciente. Em alguns casos, há necessidade de uma avaliação da visão, feita por um oftalmologista, a fim de definir alterações de campo visual e excluir outros problemas associados.

 

Resultados


Em geral sete a dez dias é o tempo suficiente para o paciente retornar às suas atividades sociais e laborais. É importante ressaltar que as alterações de cicatrização e acomodação dos tecidos em seu novo local seguem por mais algum tempo. Pelo menos três meses são necessários para se observar o resultado final do tratamento.