Otoplastia (orelha de abano)

 

 

A popular orelha de abano é um problema congênito que costuma causar muito incômodo e constrangimento, mas pode ser corrigida com a Otoplastia, uma cirurgia plástica relativamente simples.  O tratamento consiste em retirar o excesso da cartilagem da orelha e aproximá-la ao crânio. Às vezes é necessário remodelar as curvas anatômicas naturais do pavilhão auricular.

 

 

 

Como é a cirurgia?

 

Existem três tipos de deformidades congênitas na orelha que podem ser corrigidas em uma Otoplastia:

- Parte interna da orelha (concha) muito grande;

- Ausência da dobra superior da orelha;

- Ângulo muito aberto entre a cabeça e a orelha;

Em geral, essas características são hereditárias, mas a cirurgia também é indicada para corrigir algum tipo de lesão, traumática ou não.

 

Indicações


A Otoplastia é melhor executada quando a orelha já está totalmente formada, o que acontece entre os 5 e 7 anos de idade. Vale lembrar que a operação de correção antes do período escolar previne episódios de bullying e transtornos emocionais. De qualquer maneira, a otoplastia também pode ser feita em idade mais avançada nos adultos.

Antes da operação, o médico solicitará exames de laboratório para descobrir qualquer problema com anestesias ou sensibilidade a algum produto. Em geral, a cirurgia é realizada com anestesia local, com exceção de crianças que recebem anestesia geral leve e precisam passar o dia no hospital.

 

Resultados

 

Cada paciente tem sua resposta orgânica individual e pessoal, mas o resultado definitivo praticamente já pode ser observado logo após a cirurgia. No entanto, há o edema e equimoses (inchaço e rouxidão) que regridem em até 21 dias após a operação. Uma das grandes vantagens desse procedimento é a ausência de marcas: A cicatriz da otoplastia está localizada atrás da orelha e é quase invisível.